Camarate: Primeira pedra da esquadra de Camarate lançada hoje, quase dezassete anos depois

 

Camarate, Loures, 21 Jan (Lusa) - A primeira pedra da esquadra da PSP em Camarate foi hoje lançada, dezassete anos depois de ter sido anunciada e do projecto ter sido incluído no PIDDAC, quando a autarquia ainda era gerida pela CDU. 
Para o presidente da câmara, Carlos Teixeira, a nova estrutura - que conta com uma área de 3.800 metros quadrados de terreno e com uma área de 273.15 metros quadrados de construção - "não vai acabar com  a criminalidade", mas vai aumentar "a segurança dos cidadãos".
Em declarações à Lusa, Carlos Teixeira responsabilizou as anteriores gestões da autarquia e da freguesia pelo atraso na concretização da  obra, afirmando não haver "critérios para exigência" por parte das duas instituições.
Em 2002, o processo viu novo andamento, com a alteração da 
funcionalidade do projecto, já no mandato do socialista Carlos 
Teixeira, mas foi só em 2005, que foi dada a autorização definitiva para a construção da esquadra, tendo o projecto obtido a aprovação na reunião camarária de 15 de Dezembro de 2006.
Em Julho de 2007 foi aberto o concurso público para a execução da obra, que foi consignada em Dezembro do mesmo ano e estará pronta em Outubro ou Novembro deste ano. 
Carlos Teixeira revelou ainda que a prioridade agora passa pela 
construção de uma esquadra da PSP em Loures e de uma nova esquadra  da GNR em Bucelas.  
Já o ministro da Administração Interna, Rui Pereira, realçou que o aumento do PIDDAC da PSP em 70 por cento em 2008, integrado na recentemente aprovada Lei de Programação das Forças de Segurança, permitirá à polícia equipar-se melhor em termos informáticos e de viaturas, numa demonstração do "valor que o governo dá à segurança". 
 
 
 
MYD.
Lusa/Fim
Caldas da Rainha: Nova esquadra da PSP concentra serviços anteriormente dispersos
 
Caldas da Rainha, Leiria, 21 Jan (Lusa) - As novas instalações da PSP das Caldas da Rainha, inauguradas hoje pelo ministro da
Administração Interna, permitem a concentração dos serviços,
substituindo três antigos edifícios que estavam dispersos pela
cidade.
Os polícias da divisão das Caldas da Rainha chegaram a ter que
trabalhar em contentores por falta de condições das anteriores
instalações.
A nova esquadra, construída junto aos bombeiros locais e para onde se mudaram há dois meses os polícias das Caldas, foi construída num terreno cedido pela Câmara Municipal.
"As novas instalações substituem os três existentes e facilitam o comando operacional", destacou Flávio Alves, comandante distrital de Leiria da PSP.
A PSP das Caldas é constituída por 85 elementos e a nova esquadra foi dimensionada para servir 30 mil habitantes.
O presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha, Fernando
Costa (PSP), aproveitou a ocasião para pedir um reforço de efectivos afirmando que em vez dos 85 "deveria ter 110 elementos", uma vez que a população tem vindo a aumentar.
Segundo o presidente da Câmara, nos últimos anos "a população
aumentou de 48 mil habitantes para 52 mil".
Por seu lado, o ministro da Administração Interna, Rui Pereira, que esteve acompanhado pelo director nacional da PSP, Orlando Romano, destacou na sua intervenção "o custo significativo" das novas instalações, orçadas em 1,7 milhões de euros.
Rui Pereira sublinhou ainda a "cedência imprescindível" do terreno por parte da Câmara das Caldas da Rainha, o que permitiu "avançar com a edificação" de forma a se poder concentrar os serviços espalhados por três instalações.
O ministro disse ainda que a lei da programação de instalações das forças de segurança, aprovada na Assembleia da República, "é uma oportunidade para modernizar as forças de segurança, reequipar a viaturas e os meios informáticos e de comunicações em prol das comunidades locais".
 
ZO
Lusa/fim