imagem de topo do blog A Nossa Opinião; MAI - Liberdade e Segurança; 'Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão'.(artigo 19.º da Declaração Universal dos Direitos Humanos). [ imagem produzida pelos Gráficos à Lapa para este blog do MAI, A Nossa Opinião ]

Main menu:

DIALOGANDO COM A VESPA

21 March 2009

21032009201
A secção humorística do DN analisa hoje, em extenso apontamento, um post brevíssimo que há dias aqui deixei sobre a forma como no MAI vamos acompanhando o que os media publicam sobre temas de segurança, interacção essa que revela tudo menos autismo e deveria fazer parte das ocupações rotineiras de quem queira governar com olhos e ouvidos atentos ao mundo.

A brincar, a brincar, a VESPA vai ferroando que não se percebe como é que, entre tantas canseiras do Plano Tecnológico do MAI e tantas iniciativas SIMPLEX, posso humanamente ter tempo para andar a recortar e contar notas, artigos e peças avulsas escritas por jornalistas interessados no dia a dia do MAI. Como pode um membro do Governo -sem furtar precioso tempo às sisudas questões governativas-  ter  tempo para contabilizar tanto material disperso por tantas fontes?!!!

A resposta,cara VESPA, é demasiado simples: a contabilidade não é feita por mim, mas sim por especialistas que desde há anos fornecem esse serviço ao MAI (e a quem o assine, já que é comercial).

É um serviço muito útil, que me permite acesso a recortes em formato electrónico, onde quer que esteja, parado ou em movimento, em Portugal ou no estrangeiro. Graças a isso, no MAI abolimos os vetustos “boletins de recortes” em papel e libertámos os assessores de imprensa da tarefa saturante de fazer resenhas, sumários e estatísticas.

Tudo isso está ao alcance directo dos decisores políticos interrogando um sistema de informação com muitas valências, incluindo os top’s em que o DN tem destaque (coisa que a VESPA agradece, mas sem necessidade, porque a verdade das estatísticas apuradas por entidade idónea não carece de obrigado!). manchete1

As últimas ferroadas têm menos aplon e menos graça. A VESPA afirma que tenho um  blogue  privado (“A NOSSA OPINIÂO”) alojado no  site público do MAI. É falso. ” A NOSSA OPINIÃO” é o blogue oficial do MAI,com vários autores. Foi polémico à nascença, mas é hoje lido com interesse e tomado como uma ferramenta comunicacional comum e útil.Não é o meu blogue privado.

Afirma, por fim, que já escrevi umas centenas de posts, deixando duas interrogações  viperinas: (1) “Só nao sabemos quantas horas passará a navegar no ciberespaço?” (2) “Será que o faz nos tempos livres do seu gabinete?”

Para ambas a resposta é simples: (1) passo no ciberpesço muito menos horas do que as que desejaria, mas as bastantes para aceder à informação de que preciso e interagir com os meus parceiros de trabalho, usando ferramentas muito interessantes de trabalho colaborativo, que poupam horas de rotina burocrática e propiciam eficácia; (2) quando os meus posts respondem  na hora a perguntas de jornalistas e esclarecem aspectos da acção governativa,  são feitos no gabinete (ou fora dele, no smartphone). Isso faz hoje  parte do trabalho de qualquer governante que respeite a imprensa livre e leve a peito não deixar perguntas sem resposta. Obviamente e com toda a legitimidade.Mas, como é hoje o caso, também o faço a horas extravagantes.

Mau, mau é que  subjacente à ferroada esteja, afinal,  a identificação primária do uso da  Internet com “lazer” ou “perda de tempo”.

Esse  era o erro grosseiro e primário dos anos 90 quando os jornais portugueses não estavam na NET (nem achavam necessário estar)  e o meu velhinho ROTEIRO PRÁTICO DA INTERNET (1995) pregava um mundo novo digital que um dia havia de crescer em Portugal, levando a Internet a todos os campos de actividade, incluindo o trabalho governativo.Esse tempo chegou, o que deve ser motivo de regozijo para todos e não justifica senão apreço, porque é um pedacinho de democracia electrónica.

Por mim, não desistirei de lutar para   viver cada vez mais num país em que os políticos cruzem opiniões com os cidadãos e com os media tratando por tu as ferramentas da Web 2.0.(ou 3.0 ou 4…) .E em que não precisem de mobilizar grossos meios do Estado para, como no videozinho seguidamente publicado, dialogar  com uma VESPA excitada, depositar o filminho na BLIP.TV e depois saber inseri-lo neste post, sem necessidade de mobilizar assessores, nem sofisticados meios reservados a poucos. Isso significa, mais liberdade, mais democracia. E, francamente, até insectos reconhecerão que é divertido.

how to transfer prescriptions