imagem de topo do blog A Nossa Opinião; MAI - Liberdade e Segurança; 'Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão'.(artigo 19.º da Declaração Universal dos Direitos Humanos). [ imagem produzida pelos Gráficos à Lapa para este blog do MAI, A Nossa Opinião ]

Main menu:

Segurança privada nos media

17 March 2009

Uma rápida avaliação da forma como os media trataram o Relatório sobre Segurança Privada divulgado pelo MAI, seguindo os bons critérios da transparência,ajuda a perceber a importância de facultar aos cidadãos a possibilidade de ter acesso directo aos textos integrais a que a imprensa faz referência, exercendo o seu inquestionável direito de selecção e apreciação.

O resultado é, as mais das vezes,a fragmentação da informação e a proliferação de sublinhados de proporção subjectiva inevitavelmente elevada.

No caso da segurança privada foi muito assinalado, por exemplo (e com razão)  que a fiscalização do sector da segurança privada quintuplicou em 2008 e que as 1589 acções de fiscalização resultaram em 1613 autos de notícia, um aumento de 24,5% face a 2007, sendo que 275 destes diziam respeito ao exercício ilícito de segurança privada. Também avultou que apesar de o sector ter sofrido uma diminuição no número de entidades prestadoras de serviços de 113 para 105, houve um reforço dos vigilantes activos. Em 2008, foram ainda cancelados 9 alvarás e 4 licenças.

Muito referido que o sector da segurança privada registou 160 entidades autorizadas, com um total de 38 928 vigilantes activos e um volume de negócios de 650 milhões de euros, bem como o facto de ter havido uma redução para 11 dias na emissão de cartões profissionais, sendo objectivo do Governo criar este ano o Sistema Integrado de Gestão Segurança Privada para acelerar o processo. Mas nada substitui o acesso directo ao texto aprovado pelo Conselho de Segurança Privada.
Muito interessante a diversidade dos títulos:

screenshot

Tudo confirma como é relevante, para quem  tem responsabilidades   no sector, a monitorização do que se publica sobre o tema segurança

seguranca-nos-media

Não se trata de “monitorizar os monitorizadores”, mas sim de, o mais cientificamente possível, rastrear o que se publica  para estudar o significado do que se lê, vê e ouve. Vale a pena e é o  contrário do autismo, generalizadamente tido por execrável.

JM

how to transfer prescriptions