imagem de topo do blog A Nossa Opinião; MAI - Liberdade e Segurança; 'Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão'.(artigo 19.º da Declaração Universal dos Direitos Humanos). [ imagem produzida pelos Gráficos à Lapa para este blog do MAI, A Nossa Opinião ]

Main menu:

VIDEOVIGILÂNCIA EM CHICAGO

21 February 2009

O New York Times analisa hoje a mais recente arma de combate ao crime usada em Chicago,sublinhando muito o ar de filme de  Hollywood e o estilo high tech. Ao ligar à central de emergência do “112” local (que dá pelo número 911) a rede de câmaras de videovigilância instaladas em múltiplos pontos da cidade, Chicago criou  uma ferramenta complexa e muito eficaz de resposta a emergências de todo o tipo.
O NYT exemplifica com o caso de um furto denunciado via número de emergência, para a central, onde os operadores accionam a câmara certa para obter imagens da ocorrência e direccionar os efectivos no terreno.Quando contacta com o suspeito, o agente policial já sabe  a descrição e localização precisas, o que facilita a eventual detenção.

Vale a pena ler as declarações que sobre este projecto foram feitas por  Ray Orozco, director executivo do Instituto de Gestão de Emergências e Comunicações de Chicago. Vinte empresas privadas participam no programa e mais 17 aderirão em breve.O sistema  foi financiado com uma doação de $ 6 milhões de dólares do Ministério de Segurança Interna dos EUA e, depois  de um piloto em Dezembro, está em exploração normal.
No debate público,cruzam-se vozes a favor e contra. Eppure si muove..
A experiência merece ser seguida com atenção, uma vez que a resposta à criminalidade humana não pode dispensar o uso de tecnologias que apoiem os efectivos humanos no terreno.

chicago_links_street_cameras_to_its_911_network_-_nytimescom_-_mozilla_firefox-20090221132516

Não se trata de substitui-los por “robots policiais”, mas de perceber a tempo que sem olhos electrónicos as polícias ficam cegas, o que amplia extraordinariamente a margem de manobra dos delinquentes.
Em países como Portugal, o atraso na implementação de programas de videovigilância urbana acarretará elevados custos,não apenas no aumento do sentimento de insegurança, mas no aumento efectivo da criminalidade violenta e grave.A boa aplicação do quadro legal permitiria evitar esse resultado, mas infelizmente não é isso que está a ocorrer.
JM

how to transfer prescriptions