imagem de topo do blog A Nossa Opinião; MAI - Liberdade e Segurança; 'Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão'.(artigo 19.º da Declaração Universal dos Direitos Humanos). [ imagem produzida pelos Gráficos à Lapa para este blog do MAI, A Nossa Opinião ]

Main menu:

Reacção à insegurança na noite

11 December 2007

Li o editorial de Pedro Tadeu  no jornal  24Horas de hoje.
Compreendo que se exija acção firme contra  o crime, que é efecticvamente o que estamos a  a fazer.Parece-me pecado velho a acusação de que reina silêncio do Governo sobre o tema. Acho precisamente que o Governo não deve ser tagarela.Devemos falar para anunciar  medidas ou para rebater atoardas. Foi o que ontem fiz por todos os meios possiveis. Tadeu diz que  a policia deve ser visivel. Deve  (e mais do que isso: activa e atenta) mas não vale a pena usar  o  truque velho  sintetizado na máxima “as coisas estão mal,convoque-se uma parada e desfilem os  estandartes”. Acho igualmente inaceitável pôr  na boca dos  governantes dislates que nao disseram…
 
A videovigilância da Ribeira  não foi anunciada pelo MAI como “bala de prata ” contra homicidios…em Gaia. É um projecto estrutural resultante de uma parceria de segurança entre o MAI e a Câmara Municipal do Porto. O Governo fez o que prometera:assinou na hora o despacho de autorização depois de obtido o muito aguardado parecer da CNDP. E anunciou   que o faria na  manhã de segunda- feira. A   coincidência com o anúncio do assassinato de Gaia é fortuita. Nunca estabeleci qualquer nexo entre o arranque da videovigilância e o assassinato em causa. O nexo foi caricatamente criado pelo jornalista para assinalar o absurdo… do nexo que só ele estabeleceu.

O que eu assinalei é que estão em curso investigações  em profundidade e que não tem préstimo nenhum os treinadores de bancada que exigem milagres na hora às polícias e as pressionam de tal forma que as fazem aparecer aos olhos da opinião pública como “incompetentes” e desfasadas da realidade. É duro ser policia. Mais duro ainda que há gente  a fazer política sobre sangue derramado.Essa forma execrável de luta prejudica os que têm a missão de enfrentar os criminosos.

PS: Engana-se muito quem julga que isso rende votos aos treinadores de bancada.Obriga,sim, o Governo a desviar energia e recursos para neutralizar o medo gerado pela demagogia alarmista.Mas essa tarefa cumpre-se sem hesitar a bem da segurança publica.

JM

Artigo do 24 Horas

how to transfer prescriptions